Número total de visualizações de página

segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

Natal

É no Natal que me sinto
mais frágil.
É no Natal que me fazes
mais falta.
É no Natal que relembro
os ausentes.
Foi no Natal que partiste
para sempre.
Foi no Natal que soube
quanto valias para mim.
Foi no Natal, há anos,
que me esqueci
do que era, afinal,
o Natal.
E que aprendi que, sem ti,
não há Natal!

Helena

5 comentários:

  1. Gostei particularmente destes três últimos poemas.
    O Natal é por excelência uma época de saudade.

    ResponderEliminar
  2. Tal como a Helena sei bem o que é a partida de quem amamos nesta época.
    Mas foi-nos dada uma alternativa de continuarmos por cá e por cá vamos continuando sentindo as suas ausências.
    Beijinho grande

    ResponderEliminar
  3. Li e senti. O Natal é um tempo em que olhamos os lugares , muitas vezes os lugares à mesa e lá estão eles pai e mãe, avós e outros tantos que moram no nosso coração!
    Obrigada pela leitura do poema.

    ResponderEliminar