Número total de visualizações de página

quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

Chuva

Caminho silenciosa,
Entre a chuva que me fustiga
E o vento que me empurra.
Brinco com os meus passos,
Pedra sim, pedra não,
Saltito como em criança.
Esquecida dos anos que tenho
E da gente que me estranha.
O sol nunca me encantou.
Nem a praia me seduziu.
Gosto da cor do Outono,
Das folhas amareladas,
E do manto que elas tecem
No chão que a chuva encharca
E os meus passos espezinha.

Helena

segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

Natal

É no Natal que me sinto
mais frágil.
É no Natal que me fazes
mais falta.
É no Natal que relembro
os ausentes.
Foi no Natal que partiste
para sempre.
Foi no Natal que soube
quanto valias para mim.
Foi no Natal, há anos,
que me esqueci
do que era, afinal,
o Natal.
E que aprendi que, sem ti,
não há Natal!

Helena

quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

Fazer anos

Fazer anos
É sentir gratidão
Por tudo o que me deste,
Sabendo que te perdi.
É relembrar os bons tempos
Sentir as tuas mãos
E o teu corpo
No meu corpo.
É ter-te presente
Sabendo que estás ausente.
É ter-te sem te ter
Possuir-te sem te ver
Desfalecer por instantes
Acreditando num antes
Que para o bem ou para o mal
Nem sequer sei se foi real!

Helena